Componentes

  • ALZINETE DE OLIVEIRA

    Alzinete iniciou sua carreira artística na banda Andersom Musical, de titularidade de seu irmão Aderson, no final dos anos 70 e meados dos anos 80, e recebeu convite para cantar conosco no ano de 2001, permanecendo com seu profissionalismo e dedicação até os dias atuais.

  • ARY SOARES ANTONIO ARIMATÉIA RODRIGUES SOARES (ARY)

    Como todo bom músico, iniciou sua vida cantando informalmente com um irmão que tocava violão, tendo despertado a atenção de um amigo que era baterista, o qual desejava formar uma banda de rock e o convidou para nela se integrar, na qualidade de vocalista. Essa banda veio a se chamar OS SPIDERS, na qual permaneceu cerca de 01(um) ano.

    Depois dessa, integrou a Banda ESTRELA DO NORTE, que era de propriedade de um músico chamado Jussier, muito conhecido em Mossoró. Na época, Ary tinha apenas 16 anos de idade e esteve nesse grupo aproximadamente por 03(três) anos, sendo essa a sua primeira experiência profissional propriamente dita.Daí fez parte da Banda ELO MUSICAL, na qual permaneceu por 08(oito) anos, tendo se enriquecido de muitas experiências, pois essa banda era uma das melhores da cidade de Mossoró/RN, tocava bastante e viajou praticamente todo o nordeste.

    Em seguida, foi a vez de integrar uma banda chamada FORÇA LIVRE, da cidade de Itaú/RN, na qual esteve por pelo curto período de 04(quatro) meses, porque logo lhe surgiu a oportunidade de retornar a Mossoró/RN e fazer parte da banda FLOR DA TERRA, a qual integrou por cerca de 05(cinco), quando então decidiu dar uma parada em suas atividades musicais e se dedicar à sua faculdade de inglês que estava concluindo, e ao exercício da profissão correlata, em cuja lida permanece até os dias atuais.

    Convidado por Alzinete, que já conhecia desde 1986 e com a qual já tinha feito alguns trabalhos musicais, e Celso, ambos componentes de OS TREMENDÕES, grupo muito conhecido na cidade e estava precisando de mais um vocalista, veio a se integrar ao mesmo, aqui permanecendo até hoje, num período que já soma uns 04(quatro) anos. A banda OS TREMENDÕES ganhou muito com a chegada do Ary, pois além de bom profissional que é como cantor, colabora bastante com suas idéias e iniciativas, quer na organização de repertórios, backing vocal, ainda se preocupa com a performance do grupo como um todo, trazendo sua força de trabalho e suas experiências ricas e úteis.

  • CELSO NASCIMENTO FILHO

    Celso Nascimento Natural de Apodi-RN, casado, 02 filhos,  empregado da Caixa Econômica Federal, e formado em Ciências Econômicas pela UERN (1984), iniciou sua carreira artística como músico logo na infância, quando seus pais perceberam seu interesse por instrumentos musicais. Após ter conseguido um cavaquinho quebrado, emprestado por um parente, providenciou o conserto e recebeu de um amigo suas primeiras dicas de como afinar o instrumento. Assim que providenciou o conserto do instrumento e aprendeu os primeiros acordes,  o dito parente logo solicitou a devolução do instrumento.

    A partir daí, seu pai comovido com a situação, resolveu presenteá-lo com um violão novo. Recebeu aulas de afinação, conhecimento de escala e tonalidades, cujo professor era o seu primo Irinaldo.Como autodidata, foi desenvolvendo a aprendizagem não só no violão, como também em cavaquinho, posteriormente em acordeon, e outros instrumentos, tais como contrabaixo e guitarra.

    Participou do primeiro grupo musical ainda na infância, na sua cidade natal, denominado “Conjunto Infantil” sob o comando do músico José Irenaldo.  Posteriormente, do grupo musical intitulado (Natu Samba), tocando cavaquinho, aos 20 anos, à época estudante em João Pessoa-PB, durante 02 anos. Retornando a Mossoró, prestou vestibular e inscreveu-se em um concurso público, com aprovação em ambos.

    Em 1992, teve a grata surpresa de ser convidado por membros dos Tremendões, para fazer um teste como guitarrista solo, em substituição ao festejado João de Deus. Um pouco apreensivo, aceitou o convite, obtendo aprovação por parte dos demais músicos da banda, onde permanece até hoje.No ano 2000 gravou em estúdio (Natal-RN) o CD “Jovem Guarda”,  em 2006 gravou ao vivo o  DVD vol I “Tremendões ao vivo”, em 2007 participou da gravação do segundo CD e em 2012 gravou com a banda o DVD II”, este no Teatro Dix-Huit Rosado de Mossoró/RN.2004 foi o ano de realização de um grande sonho, a montagem, produção e gravação de seu primeiro trabalho solo, o CD instrumental  “Sons de Carrilhões”, baseado na obra do grande violonista Dilermando Reis.

    Apreciador da boa música brasileira, Celso trabalha agora no projeto de um CD de “chorinho”, composições de grandes mestres da música brasileira.

  • CLENILTON MAIA

    Clenilton Maia de Oliveira, nascido aos 13/01/1981 na cidade de Frutuoso Gomes-RN, Tecnólogo em Radiologia, desde pequeno, sempre manifestou afinidade pela música. Aos 09 anos de idade, confeccionou sua primeira bateria feita de lata, utilizada da mesma como brinquedo, sem imaginar que resultaria até os dias atuais, em suas apresentações com sua humilde musicalidade. Sua primeira apresentação como baterista foi na igreja, e posteriormente, após contatos de amigos e integrantes de outras bandas, passou a apresentar-se com bandas. Profissionalmente já com 15 anos de idade, no ano de 1996 iniciou sua carreira artística com a banda Nova Geração da cidade de Frutuoso Gomes-RN, e desde então, nunca mais parou. Com o passar do tempo, a paixão pela música e sua versatilidade, despertou ao músico, participar em bandas do RN, CE E PB, encorporando os rítmos de axé, forró, pop rock nacional etc. Entre as bandas, teve passagem com Forró Delícia, Forró Asa Branca, Forró Devasso, Imenso Samba, Rala 7, Café Expresso, dentre outras. Assim, o que antes era apenas uma questão atrativa, transformou-se em coisa séria. Desde 2016 até os dias atuais, está somando à família Tremendões de Mossoró.

  • JOSÉ MARTINS DE OLIVEIRA

    (Pirrita) – Teve suas primeiras experiências em 1971, numa banda chamada THE LIONS, da cidade de Governador Dix-Sept Rosado/RN, sua cidade natal. Essa banda era formada por Hubener e Wilson(irmãos) sendo o Pirrita o terceiro dos irmãos a integrá-la, e mais dois amigos.Mais tarde, o  grupo migra para a cidade de Mossoró/RN, onde muda seu nome para THE POP SOM, e, posteriormente, para ELO MUSICAL, mantendo seus integrantes, cuja trajetória durou até 1994.

    Depois disso, participou eventualmente de outros grupos, não tendo se ligado a nenhum deles em definitivo.No ano de  2008, convidado por Arimatéia e Celso, integrantes de OS TREMENDÕES, veio a fazer parte dessa Banda, aqui estando há uns 03 meses, trazendo todo seu talento para somar aos outros, fortalecendo ainda mais a legítima representante dos Anos 60 e Jovem Guarda da cidade de Mossoró.

  • LEONARDO DA VINCI LIMA NOGUEIRA

    Leonardo atualmente com (50 + x)anos de idade, iniciou sua carreira musical num programa de calouros, em 1962, no Cine Pax, cantando sozinho a música Promessa, de Wanderley Cardoso. Juntando-se a outros dois jovens formaram um trio, o SEMPRE ALERTA, que executavam músicas dos trios existentes à época, principalmente o Trio Nagô e o Trio Irakitan.

    Mais tarde, tendo conhecido Os Beatles, o trio do qual fazia parte admitiu mais um componente e alterou seu nome para SELTAEB(Beatles ao contrário). Em seguida, o quarteto, com a chegada de um novo componente, altera novamente seu nome para OS TREMENDÕES, cuja formação durou até 1967, quando então Leonardo e os outros integrantes, pararam de tocar e partiram para definir suas vidas profissionais.

    O espírito roqueiro de Leonardo, no entanto, não adormecera e em 1990, ao assistir um show de Paul McCartner no Rio de Janeiro, reacendeu-lhe o gosto pela música e na sua volta à cidade de Mossoró, já trazia em sua bagagem alguns instrumentos musicais, necessários para reativar OS TREMENDÕES.

    Articula-se com 03(três) dos antigos componentes e outros três se lhes associam, aceitando o desafio. E apesar das mudanças ocorridas ao longo do tempo, a banda OS TREMENDÕES não perdeu a sua essência, o seu estilo, porque seu repertório é fiel à Jovem Guarda e aos Anos Sessenta. E assim, Leonardo e seus amigos, não só reacendem seus sonhos, mas oferecem a oportunidade para que muitas outras pessoas possam sonhar, pois desde quando retornou em 1990 o seu grupo tem levado às multidões sua boa música.

  • LUDSON RODRIGO DE OLIVEIRA

    Cognominado Ludson Martins, (Ludson Rodrigo de Oliveira), natural da Zona Rural do município de Apodi - RN, todavia, Filipense de coração, iniciou contato com a música por intermédio do pai, Manoel Neto de Oliveira.

    Aos dez anos, recorrendo às famosas revistas de músicas cifradas compradas pela mãe, Maria da Conceição de Oliveira, executou os primeiros acordes no violão, sendo a canção inicialmente estudada pelo mesmo, Galopeira, que tem por autoria Mauricio Cardozo Ocampo. Entretanto, em poucos acordes a evolução cessou, devido à falta de fascínio, na época, pelo instrumento em questão.


    Posteriormente, no ano de 2006, emergiu a oportunidade de participar de uma filarmônica na cidade de Felipe Guerra – RN, vinculada ao Projeto Abelhar, onde aprendeu os princípios da teoria musical e, simultaneamente, exerceu os primeiros sopros no trombone de vara, sob a orientação do nobre maestro José Marcone (Dedezinho, como conhecido).  Ao desenvolver do tempo, adquiriu experiência musical ao integrar em algumas bandas de multifários gêneros, como por exemplo, forró, pop rock e reggae. Atuou como monitor de flauta doce ainda no Projeto Abelhar (existente até os dias atuais).

    Destinado ao aprazível mundo da música, optou por desenvolver e aprofundar o conhecimento musical. Objetivando seguir carreira profissional no ramo, prestou vestibular para a graduação em música na UERN (Universidade Estadual do Rio Grande do Norte), onde passou a atuar como bolsista de extensão universitária (Educarte, atualmente em execução).

     Em sua bagagem extracurricular, o músico desempenha papel voluntário no Projeto Ecoarte, na cidade de Mossoró – RN, como monitor/instrutor de violão. Concomitantemente, exerce função de tecladista do Cezôca e Banda Brazôca, bem como trombonista e Gaitista no grupo musical Tremendões de Mossoró. Em nossa Banda Ludson ingressou no dia 13/08/2013, quando testamos o nosso naipe em um show na cidade de Campo Grande/RN.

  • MANOEL GEORGINO DO CARMO

    (Manoel) – Pode-se dizer que a música já é tradição na família de Manoel, pois tanto ele quanto seus irmãos têm seus aprendizados nessa linha, tendo como figura central o seu tio Filastro do Carmo que lhes cedeu o cavaquinho para que os sobrinhos descobrissem os primeiros rudimentos musicais. A partir daí cada um tomou o seu rumo, aprendendo outros instrumentos.

    Com a chegada de um padre holandês à cidade de Apodi/RN, de grandes iniciativas sócio-culturais, que rapidamente fundou algumas instituições, dentre elas a FUNDEVAP - Fundação de Desenvolvimento do Vale do Apodi e ligada a essa várias escolas, dentre elas a de música, atraindo muitos jovens que para lá acorreram, visando estudar e desenvolver seus talentos musicais, como é o caso do Manoel.

    Padre Pedro resolveu também formar em 1966, uma banda musical, que passou a se chamar ALEX MAIA e mais adiante, um conjunto musical, que se denominou DIAMANTES, cujos componentes contavam com alguns membros da Família Georgino do Carmo, incluindo o Manoel, que estudava na escola de música e tocava Tuba, passou também a aprender contra-baixo, ingressou nesse conjunto. O grupo contava com outros músicos, como é o caso de Bauru(guitarrista e cantor), da cidade vizinha de Felipe Guerra/RN. Esse grupo mais tarde, passou a se chamar OS EXPLOSIVOS.

    Nessa época, um dos componentes se afastou para servir ao Exército Brasileiro e o Manoel Georgino assumiu um outro instrumento: a guitarra-solo, passando o contra-baixo ao seu irmão Irinaldo.Após adquirir alguns equipamentos de OS BÁRBAROS, o conjunto melhorou sua performance sonora, pois até então seu equipamento era artesanal.Manoel, então, teve que dividir o seu tempo entre a música, o trabalho e os estudos, não perdendo o foco em nenhum dos lados, pois nunca acreditou em um futuro onde não exista a educação como prioridade. Saliente-se que o trabalho do Manoel era bem diversificado: carregava água em roladeiras e ajudava em uma marcenaria, contribuindo para o sustento da família e à noite, frequentava a escola, arranjando um tempinho ainda para a escola de música. Nos finais de semana ainda tocava, quando surgia alguma festa.

    A partir de 1969 até 1971, a banda que ele integrava começou a fazer sucesso, tendo mudado novamente seu nome para SUPER-SOM EXPLOSIVO, cuja trajetória incluiu excursões pelos Estados do Ceará e Paraíba, sem mencionar as cidades do próprio Estado do Rio Grande do Norte. Após todo esse sucesso, a banda se desfez motivada por problemas internos.

    A partir daí, o Manoel dedicou seu tempo aos estudos  até o surgimento de uma outra banda, OS DOMINANTES, cujo dono era Altino, para a qual foi convidado, tendo se demorado nessa uns 03 anos primeiramente,  e teve que se afastar, pois a esse tempo já era professor e envolvido com a coordenação do NURE(atualmente DIREB), cujas atividades não lhe deixavam muito tempo.

    Porém, dado a insistência do grupo musical retorna ao mesmo por mais um período de, aproximadamente, 01 ano, quando então o deixa definitivamente em 1985. Grande experiência havia adquirido enquanto membro dessa banda, pois a mesma fez muito sucesso nos anos 80, porque tocava muito nos finais de semana, inclusive pelos Estados do Ceará, da Paraíba e de Pernambuco.

    Saindo da banda, afastou-se um pouco da música assumindo algumas atividades sindicais, além das suas próprias da coordenação do NURE, tendo que viajar muito,  pois representava 06 cidades na qualidade de Delegado Sindical. Envolveu-se também na política, tendo sido candidato a Prefeito da sua cidade, porém não conseguiu se eleger e tentou o comércio em 1992, também não obtendo êxito em sua empreitada.Finalmente, em dezembro de 1997, atendendo convite de Celso, seu primo, que já fazia parte de OS TREMENDÕES, integra-o e aqui permanece até os dias atuais, tendo contribuído bastante para o crescimento desse grupo com os seus conhecimentos, com o seu talento e,  sobretudo, com a responsabilidade que lhe caracteriza uma pessoa de excelente caráter e honradez, além do bom amigo que é.